fbpx

Arquitetura Comercial

Projetos de Arquitetura Comercial de lojas de rua, malls e show-rooms devem ser pensados para surpreender e impactar positivamente. Mas o foco também deve ser voltado para o conforto e bem estar dos ocupantes de longa estada dos espaços. O planejamento gira em torno de remeter os visitantes à temática da marca, através de uma ambientação lúdica que os transporte a um mundo especial.  Para isso é importante fazer que visitantes e convidados sintam-se conectados aos produtos ou serviços oferecidos.

Existem diferentes abordagens para uma temática de arquitetura comercial. A maioria apoia-se no uso da memória basal do visitante e tudo aquilo que já vivenciou até o momento em que entra no estabelecimento. A arquitetura deve incluir um estudo aprofundado dos produtos disponibilizados na loja em seu projeto preliminar. Isso porque é fundamental propiciar o desenvolvimento de um ambiente de imersão. O visitante poderá perceber instintivamente onde e porque precisa dos itens, no momento em que os observa. Além do estímulo visual, outros sentidos devem ser utilizados no projeto, como o olfato, tato, audição e até paladar.

Mas, como relatado no início, projetos de arquitetura comercial não devem parar no bem estar do visitante. Assim como atenção especial deve ter níveis de excelência para quem passa poucos minutos no espaço, o mesmo deve ser pensado para os que ficam nele por longos períodos. Colaboradores jamais devem ser tratados como meros acessórios ou robôs, que estão ali para cumprir funções repetitivas e bater metas. Satisfação pessoal é prioritária em qualquer cargo, principalmente nos que demandam atendimento ao público.

Futuro dos Projetos de Arquitetura Comercial

Um fato a se prestar atenção e ainda pouco levado em consideração pelas grandes marcas: espaços comerciais que oferecem produtos impessoais em breve se tornarão meros show-rooms. A compra pelo meio eletrônico tomará o lugar de diversos tipos de loja conhecidas hoje. Isso devido aos menores custos de manutenção de espaços físicos e pessoal de atendimento.

Um exemplo de lojas que deixarão de existir são as que vendem eletrodomésticos e eletrônicos. Em uma visita ao show-room de uma marca será possível conhecer as características e experienciar os sentidos do produto. Uma vez selecionado o modelo, a compra pode ser realizada rapidamente pelo smartphone, ou após breve ponderação. Entretanto, lojas de roupas, onde é necessário provar os modelos para verificar quais se adaptam melhor ao tipo de corpo ainda terão sobrevida.

 

Arquivos relacionados ao tema