SERVIÇOS DE ARQUITETURA

CONSULTE SEMPRE UM PROFISSIONAL

São fundamentais em construções novas ou reformas. Arquitetos devem ser enxergados como ferramentas úteis a serem utilizadas no planejamento de espaços. Sem eles é possível tirar idéias da cabeça e colocá-as em prática, mas as técnicas apresentadas pelos profissionais podem fazer toda a diferença a médio e longo prazo 

Escopo de Projetos

Escopo de Obras

ARQUITETURA COMO FERRAMENTA

É preciso deixar claro que trabalhos menores podem ser realizados sem a ajuda de profissionais e de modo artesanal. Mas é lógico que utilizar ferramentas adequadas deixa qualquer trabalho mais prático e rápido. 

Em tarefas mais complexas, isso se traduz como ganho de tempo, qualidade e redução de custos.

1. QUAIS SÃO OS TIPOS DE SERVIÇO OFERECIDOS POR ARQUITETOS?

Existem os profissionais de projeto de edificações, habilitados para desenhar casas, prédios, lojas, fábricas, escolas, restaurantes, estádios, escritórios, hotéis, academias e até praças de pedágio. Os serviços abrangem também o desenho de móveis, peças artísticas e objetos de consumo. Neste campo criativo, ainda se incluem paisagistas, lighting designers, planejadores urbanos e arquitetos de interiores.

Há aqueles que trabalham com a parte mais documental, que inclui avaliação de imóveis, perícia, corretagem, orçamento e gerência de projetos e obras. Também há a elaboração de projetos complementares, que abrange as áreas de estrutura, elétrica, hidráulica, ar-condicionado, entre outros.

A lista ainda se completa com elaboração de projetos complementares, que abrange as áreas de estrutura, elétrica, hidráulica e ar-condicionado, entre outros.

2. Quem pode fazer PROJETOS de ESTRUTURA, ELÉTRICA E HIDRÁULICA?

Arquitetos são habilitados a produzir projetos diversos projetos complementares, como os de estruturas, elétrica, hidráulica e de ar-condicionado. A Lei Federal 5.194 de 1966 descreve que o profissional pode atuar nas áreas em que obteve habilitação. Por isso, podem realizar trabalhos que estiverem descritos em seu histórico acadêmico.

Se o escritório ou profissional liberal não tiver condições de oferecer trabalhos do tipo, pode sempre fazer parcerias. Mas, independente de quem for o contratado, o importante é ter consciência da importância dos projetos de estrutura, elétrica e hidráulica na construção de uma edificação sadia.

Quem mais ganha com a contratação de projetos assim é o cliente, que poderá evitar gastos desnecessários na obra e elaborar planos de manutenção programada ao longo da vida útil do imóvel.

3. Quando se DEVE CONTRATAR PROJETOS COMPLEMENTARES?

Preferencialmente qualquer obra deve contar com projetos complementares. Pode se comparar a falta de contratação destes serviços à compra de um carro sem rodas ou volante.

Projetos de estrutura, elétrica, hidráulica e ar-condicionado, entre outros, servem para planejar e orientar os trabalhos de construção e reforma, além de qualificar e orçar a obra, ajudando a manter o controle dos investimentos. Também são essenciais no momento em que atualizações ou manutenções se fazem necessárias.

Outros projetos opcionais como os de automação, aspiração, paisagismo e interiores, entre diversos outros, agregam valor apesar de não serem necessários para o uso funcional da edificação. São itens a mais que o arquiteto pode oferecer.

4. QUANTO CUSTA CONTRATAR UM ARQUITETO?​

O valor investido na contratação de serviços de arquitetura e engenharia irá variar de acordo com diversos aspectos da edificação, podendo custar geralmente entre 3,6% e 11,8% do valor final da obra.

Os preços estão ligados ao tempo estimado que o profissional ou escritório irá disponibilizar para o desenvolvimento do projeto. Por conta disso a complexidade da edificação é um dois primeiros itens a ser considerado.

Trabalhos mais simples demandam menos tempo no desenvolvimento de soluções e posterior desenho. Por isso é que desenhar fábricas, galpões e oficinas é bem mais barato que uma estação de metrô.

Outro fator levado em conta é a quantidade de repetição de espaços. Um projeto de vila deverá ter porcentagem de investimento menor que o de uma residência unifamiliar, por exemplo.

Fazer uma Estimativa Eletrônica

5. O QUE ESPERAR AO CONTRATAR UM ARQUITETO?​

Entre os problemas observados em contratações de arquitetos e engenheiros está a falta de definição do conteúdo dos projetos ofertados. A confusão que isso pode gerar não se limita à expectativa sobre o que foi contratado entre as duas partes. A própria organização dos serviços fica comprometida, bem como a percepção do valor do trabalho realizado.

É preciso que não se confunda estudo preliminar ou ante-projeto com projeto executivo. A maioria das obras no Brasil é constrúida utilizando apenas o ante-projeto, deixando a tomada de decisões importantes para o pior momento: durante a construção. Projetos executivos bem elaborados contemplam todo e qualquer elemento relacionado à execução da obra, incluindo elementos de elétrica, hidráulica, fundações e estruturas. Por mais que sejam contratados à parte, devem estar inclusos na planta de arquitetura.

O estudo preliminar deve custar cerca de 10% do valor total do projeto. Ante-projeto fica em torno de de 30%, incluindo as aprovações em órgãos públicos. Projetos executivos completos ficam com os outros 60%. O valor do projeto executivo é sempre mais elevado, o que por vezes causa estranhamento. Por isso é indicada a consulta de tabelas que indicam como calcular valores de honorários de arquitetos e engenheiros.

VALOR DE CADA ETAPA
em projetos de arquitetura

Os trabalhos cobrados por arquitetos geralmente são divididos em três etapas distintas. Clique no botão abaixo para entender o escopo de cada uma delas.

Escopo de Projetos

Estudos Preliminares

10%

Ante-Projeto e Aprovação

30%

Projeto Executivo

60%