fachada do tune hotels em Kuala Lumpur

Projeto de hotel para a rede Tune Hotels

O papel do escritório de arquitetura consistia na localização de imóveis com potencial de retrofit e construção de novos prédios em áreas centrais.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest

Projeto de hotel para a rede Tune Hotels com ambiente descontraído e jovem. Este modelo de hotel foi desenvolvido para proporcionar hospedagens confortáveis e financeiramente acessíveis. O prédio foi completamente desenhado para o turismo de experiência, visando atender não só hóspedes, como moradores da cidade.

O processo foi iniciado em 2009, logo após a confirmação do Brasil como sede da copa do mundo de 2014. O então presidente da rede Tune Hotels, Dennis Melka, entrou em contato solicitando ajuda para achar prédios em São Paulo e Rio de Janeiro. Primeiramente deveriam ser prospectados hotéis desativados que pudessem passar por um retrofit completo. Entre as visitas e propostas estava até o prédio do antigo hotel Cambridge, no centro de São Paulo. Em tempo, retrofit de prédio consiste em remodelar e dar um novo uso ao edifício, com novos materiais de acabamento e vedações, além de tecnologias para iluminação, saneamento, ar-condicionado entre outros, porém sem perder as características originais de estrutura e fachada.

Em estudos rápidos conduzidos pela POKT Design+Arquitetura concluiu-se que os valores ofertados pelos antigos prédios inviabilizaria reformas e reuso. O mercado estava aquecido e os proprietários supervalorizavam seus prédios sem justificar o porquê do montante pedido. Logo após este estudo, partiu-se para a procura de terrenos livres e propostas de edificações novas.

Projetos modelos

Os primeiros desenhos apresentados na sequência foram para o projeto de hotel em terreno localizado ao lado do metrô consolação. Era um estacionamento que conectava duas vias importantes na região da Avenida Paulista: a Rua da Consolação e a Avenida Angélica. Por isso, a proposta apresentada visava criar uma via de pedestres livre para a cidade. O intuito era diversificar a oferta de serviços, oferecendo o uso do restaurante e amenidades também para a população local. A abertura de serviços é uma tendência crescente em prédios de habitação temporária pelo mundo porque acrescenta receita ao faturamento e aumenta a visibilidade do hotel. O hotel passa a pertencer à cidade como opção de lazer e entretenimento, e não fica restrito somente a hóspedes.

Ao final foram apresentadas duas propostas distintas. Uma mais arrojada, com menos quartos e projeto de interiores completamente radical. A segunda mais tradicional, porque acrescentava ainda um outro terreno adjacente também disponível. Nas duas propostas o térreo era aberto para o entorno. Ambos os projetos tiveram a arquitetura, estrutura, elétrica e hidráulica completamente desenhada em BIM.

Outros Projetos: