Perkins+Will e POKT – Unidos pelo BIM

Trabalho em conjunto dos dois escritórios abriu as portas do mercado brasileiro para a gigante da arquitetura americana.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest

Perkins+Will, o maior escritório de arquitetura dos Estados Unidos e a POKT Design+Arquitetura se uniram para fazer o novo escritório da Bloomberg no Brasil.

Em 2010 a tecnologia uniu escritórios de São Paulo e Nova York em torno do cliente

Ainda lembro como se fosse ontem, o telefone tocando na hora marcada. Era a primeira conversa entre os dois escritórios. Do lado de lá a Head of Global Design da Perkins+Will, Pamela Abalu. Do lado daqui estava eu, Andre Luiz, na época com menos de 30 anos e motivado pela recente mudança do escritório para uma sala com vista para o Copan, projeto do mestre Niemeyer.

O trabalho era simples, uma pequena alteração em uma das salas do escritório paulistano de um cliente global da Perkins+Will. A empresa de comunicação Bloomberg, de propriedade do então prefeito de Nova York.  No entanto, o projeto era tão pequeno que o próprio facilities da empresa Bloomberg criou uma solução própria. Isso fez com que a contratação de projeto de arquitetura fosse dispensada.

O ano era 2010 e a economia do Brasil  ainda era manchete de destaque nos jornais internacionais. Todavia, as conversas que existiram enquanto se negociava a união dos escritórios em torno daquele projeto que não vingou foi tão leve e produtiva que não demorou muito para que viesse uma proposta ainda maior: projetar um novo escritório para o mesmo cliente.

Um trabalho a sete mãos

A concepção do espaço foi realizada pelo escritório americano, iniciando pelos desenhos acima. Em segundo momento, o projeto executivo e busca de fornecedores locais foi todo desenvolvido pelos paulistanos.

Em 2011 iniciou-se a parceria entre os dois escritórios.  A POKT Design+Arquitetura realizou diversos trabalhos com a Perkins+Wil, incluindo o desenho inicial do escritório da Goldman Sachs. A ideia do gigante da arquitetura americano era montar uma base no Brasil, o que veio a acontecer alguns anos depois com a aquisição do escritório Rocco Vidal.

O projeto inicial era completamente inovador, talvez um pouco demais para os padrões brasileiros. Eventualmente foram solicitadas mudanças nas cores e desenho dos móveis. Decerto é uma pena que aqui no Brasil o conservadorismo ainda limite a criatividade. Entretanto, o processo prosseguiu e foi realizado unindo duas plataformas distintas.  Nos Estados Unidos utilizou-se o Revit e no Brasil trabalhou-se com o AutoCAD Architecture, integrando os dois por meio de conversões em IFC. Ainda que os dois produtos sejam desenvolvidos pela mesma empresa, a Autodesk, ainda não há uma integração perfeita entre programas.

A conclusão deste trabalho foi realizada em 2011. Pouco tempo depois, a Pamela aceitou uma proposta irrecusável e levou seus talentos para a Metlife, tornando-se umas das arquitetas mais influentes dos Estados Unidos.

Outros Projetos: