Projetos complementares de sorveteria

Projeto de Sorveteria – Bacio di Latte Perdizes

Share on facebook
Share on google
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Projeto de Sorveteria da Bacio di Latte em São Paulo em que o StudioMEP elaborarou projetos complementares em BIM.  Houve primeiramente o desenvolvimento do projeto de arquitetura fornecido pelo cliente. Os projetos complementares de elétrica, bem como hidráulica, prevenção e combate a incêndio e ar condicionado foram desenvolvidos na sequência. Confira a lista de projetos complementares de arquitetura e engenharia necessários para que uma obra seja bem planejada e construída. Os desenhos complementares de um projeto de sorveteria levam em média 10 dias para ficarem prontos.

Sobre escopo de projetos de arquitetura e complementares

Quando se compra um carro não precisa perguntar se vem com rodas ou volante. O mesmo deveria acontecer com serviços de arquitetura.

Entre os maiores problemas observados na maioria dos escritórios de arquitetos está a falta de definição sobre o conteúdo dos projetos oferecidos ao cliente. A confusão que isso pode gerar não se limita somente à expectativa sobre o que foi contratado entre as duas partes. A própria organização dos serviços fica comprometida, bem como a percepção do valor do trabalho realizado. Um dos exemplos usados para ilustrar essa situação é o escopo do projeto executivo. Muitos arquitetos não tem ciência de que esta etapa de projeto deve contemplar muito mais do que cotas e indicações de acabamentos.

Um projeto executivo bem elaborado contempla todo e qualquer elemento relacionado à execução da obra, como o próprio nome sugere. Isto inclui projetos de elétrica, hidráulica e estrutura. O valor do projeto executivo é sempre mais elevado, o que por vezes causa estranhamento quando são consultadas as tabelas que mostram como calcular valores de honorários, como a que criada pela POKT

Voltando à analogia da compra do carro. Existem itens que são considerados fundamentais e que nunca poderiam ser alvo de questionamento por parte do consumidor. Em comparação com projeto de arquitetura, podemos dizer que a contratação dos complementares nunca deveria ser opcional. Isso porque eles funcionam como a roda e o volante de um veículo, como mencionado no primeiro parágrafo. Por outro lado, projetos que agregam valor, porém não necessários para a função da edificação (automação, aspiração, paisagismo, interiores especiais, entre outros) podem ser considerados opcionais, existindo como itens a mais que o arquiteto pode oferecer.

Quem pode oferecer serviços complementares?

Ademais há sempre uma dúvida se arquitetos podem desenvolver projetos complementares. Arquitetos são sim habilitados a produzir estes tipos de projetos. Acima de tudo se foram eles que desenvolveram também o projeto de arquitetura. Se o escritório ou profissional liberal não se sentir em condições de oferecer trabalhos complementares, pode sempre fazer parcerias com outros que prestam este tipo de serviço. Assim todo mundo ganha no final, especialmente o cliente.

Outros Projetos: